Mosaico em cerâmica plástica


INGREDIENTES
- Base de vidro ou cerâmica;
- Lâmina de estilete;
- Rolo para abrir a massa;
- Luva cirúrgica;
- Pano e álcool para limpeza;
- 1/2 tablete de massa cobre;
- 1/2 tablete de massa ouro;
- uma cópia feita em toner ou laser;
- óleo de eucalipto.
- um pedaço de papel panamá;
- um pedaço de feltro preto;
- cola branca;
- verniz próprio para cerâmica plástica.

MODO DE FAZER

Preço de custo: R$ 10,00
Preço de venda: R$ 15,00

- Abra a massa cobre e deixe-a com 2 mm de espessura. Procure deixar essa massa com um formato quadrado
- Coloque essa fotocópia sobre a massa, com a figura voltada para baixo (ou seja, em contato direto com a massa);
- Passe no papel o óleo de eucalipto.
- Vá passando uma espátula, delicadamente, em cima do desenho, para que essa imagem transfira para a massa. Esse processo dura cerca de 30 minutos.
- Conforme você passar a espátula levante a beiradinha do papel para ter certeza que a imagem está transferindo.
- Quando você vir que a imagem transferiu totalmente, retire o papel.
- Abra a massa dourada também com 2 mm de espessura. Corte dois quadrados de 5 cm cada.
- Faça o mesmo com a massa dourada, mas corte somente um quadrado.
- Corte esses quadrados na diagonal. Você vai ficar com 4 triângulos em cada quadrado.
- Asse as peças.
- Com as peças assadas, monte o desenho.
- Transfira esse formato para um papel mais grosso (papel panamá)
- Cole as peças sobre ele.
- Corte o feltro no mesmo tamanho.
- Cole o feltro no papel.
- Para que o desenho dure, aconselho que passe verniz próprio para cerâmica plástica.
- Está pronta a peça.

Modo de queima

- Coloque as peças em uma assadeira de alumínio forrada com papel.
- leve ao forno ainda desligado.
- com a peça lá dentro, ligue o forno no mínimo.
- deixe por 10 minutos.
- quando der os 10 minutos, abra um vão no forno e deixe por mais 30 minutos.
- deu o tempo? Desligue o forno.
- Nesse caso, retire as peças do forno. Coloque um peso sobre essas peças para que elas esfriem retas.


Bene Tealdi - Artesã
Contato: (11) 9386-0234

Cachepô revestido com rattan



MATERIAL

- Peça em MDF;
- Guarnição meia lua (2 cm.);
- Serra tico-tico;
- Régua e lápis;
- Lixa para madeira n° 220;
- Pincel chato largo;
- Tinta látex PVA fosca na cor creme;
- Gel médium envelhecedor:- verde antigo e betume;
- Rolinho de espuma;
- Bandeja de isopor;
- Vasilhame para água;
- Pano macio (malha de camiseta);
- Cola branca;
- Textura acrílica;
- Stencil para textura;
- Fita crepe;
- Espátula para textura;
- Goma laca incolor.
- Verniz acrílico brilhante.
MODO DE FAZER

1° passo: Medir a guarnição de madeira, marcando 14 cm. E cortar com a serra tico-tico. Demarcar cada uma aleatoriamente com a serra tico-tico (espaço 5 cm).
2° passo: Aplicar cola branca na parte traseira (achatada) da guarnição e em seguida colar cada uma ao lado da outra, pressionando para aderir.
3° passo: Repetir o processo em cada lado da peça, um lado por vez. Secar bem.
4° passo: Colocar tinta da cor creme na bandeja de isopor. Adicionar água se for necessário. Misturar bem.
5° passo: Aplicar uma demão em toda a peça empregando o pincel chato largo sobre as partes coladas e alisando com o rolinho de espuma. Secar bem. Repetir o processo na parte interna. Secar.
6° passo: Lixar toda a peça com a lixa para madeira n° 220. Retirar o pó com pano macio ou pincel.
7° passo: Aplicar mais duas demãos em toda a peça, respeitando intervalo de secagem entre as demãos.
8° passo: Colocar um pouco de gel médium da cor verde antigo na bandeja de isopor e adicionar um pouco de água. Misturar bem. Reservar.
9° passo: Molhar um pedaço de malha de camiseta com água. Espremer bem. Dobrar e reservar.
10° passo: Aplicar a mistura de gel em um lado da peça empregando o pincel chato. Em seguida, antes que o gel seque alisar com o pano úmido reservado, para retirar o excesso. Secar.
11° passo: Repetir o processo em cada lado da peça. Secar.
12° passo: Colocar um pouco de gel médium da cor betume na bandeja de isopor. Adicionar um pouco de água. Misturar bem. Reservar.
13° passo: Molhar a malha de camiseta com água, espremer bem e dobrar. Reservar.
14° passo: Aplicar o gel betume em um lado da peça, empregando o pincel chato. Em seguida, antes que o gel seque alisar com o pano úmido reservado, para retirar o excesso. Secar.
15° passo: Repetir o processo em cada lado da peça. Secar.
16° passo: Colocar um pouco de goma laca incolor em um recipiente descartável de vidro ou de plástico.
17° passo: Aplicar uma camada farta sobre um lado por vez da peça empregando o pincel chato largo. Secar.
18° passo: Repetir o processo em um lado de cada vez com cuidado para a goma laca não escorrer. Secar bem.
19° passo: Aplicar duas demãos de verniz acrílico brilhante com o rolinho na parte interna, respeitando intervalo de secagem entre as demãos.

OBS: Se houver borda no cachepô, efetuar o stencil e sobre ele, após secagem, aplicar gel. Envelhecedor como foi feito na peça. Aplicar o verniz acrílico conforme passo 19.

Carlos Saad - Artesão
Contato: (11) 2091-1702

SCRAPBOOKING

Gosto muito de qualquer tipo de artesanato. Já andei me aventurando com o Scrapbooking, mas ainda não fiz nenhum curso.
Abaixo, algumas dicas interessantes que achei no Blog Luh Vera para iniciantes que, como eu, querem aprender um pouco mais sobre essa arte.
Aproveite e mãos à obra!

Quais os materiais necessários?



Bem, como escritora do blog, percebi a grande quantidade de leitoras que estão começando, ou ainda estão querendo começar a fazer Scrapbook. E percebi também, que muitas leitoras são de várias regiões do Brasil onde o scrapbooking ainda é desconhecido, ou não tem lojas e lugares com cursos e materiais para o hobby.

Meu objetivo no blog, é disseminar a arte no Brasil, e ajudar com idéias e novas técnicas, àquelas pessoas que ainda tem o scrap um pouco inacessível. Portanto, nesse post, eu vou mostrar alguns materiais que eu julgo necessários para a iniciação no Scrapbook, para o que eles servem, e outras dicas.


Os Materiais

O scrapbook hoje tem um mercado muito amplo de materiais, portanto, hoje tem material para fazer de TUDO. Mas, você não precisa adquirir tudo isso de uma vez só, já que os materiais e ferramentas de scrap não são muito baratos, principalmente por serem em grande maioria, importados.

Você deve começar pelo básico, até porque, algumas técnicas exigem um pouco mais de conhecimento, então não saia comprando tudo o que vê de materiais de scrap, sem pelo menos saber fazer o básico. O bacana é começando com cursos básicos, e ir avançando em outras técnicas depois que já domina o principal.

Então, o que eu preciso de materiais Básicos ?

Base de Corte

A base de corte é fundamental para cortar o papel nos tamanhos desejados. Quem faz em larga escala, ou faz muito scrap, pode usar a guilhotina, mas mesmo assim, para alguns detalhes é necessária a base de corte. Ela é encontrada em 3 tamanhos: A4, A3 e A2. A Base tamanho A4 não é muito utilizada no scrap, por se tratar de ser uma base pequena que dificulta um pouco o trabalho do scrap. A base A3 é a mais utilizada, tem tamanho 300 x 450 mm, e é ideal para quem não tem muito espaço para o trabalho, e ao mesmo tempo, quer precisão no corte do papel. A terceira base, a A2 é a maior (600 x 430 mm), é muito usada em pathwork também. Ela é bem prática, mas ocupa mais espaço.




A base de corte é necessária para fazer cortes precisos, pois ela é toda quadriculada em centímetros para facilitar a medição.

Estilete

O estilete você pode usar qualquer um, desde que ele tenha um corte preciso, e seja confortável para o manuseio.


Você também pode utilizar aqueles jogos de estiletes de precisão, com várias “facas” diferentes. Este proporciona vários tipos de cortes, permite até “desenhar” recortando bordas bem elaboradas, com curvas (como flores, borboletas)

Para o começo, você pode utilizar sem problemas um estilete simples, e com o tempo, pode adiquirir um estilete mais elaborado, ou um kit de estiletes de precisão.



Régua Metálica

Para apoiar o corte com o estilete, é fundamental uma régua metálica boa. Se você usar uma régua plástica, com o tempo o fio do estilete irá “comendo” o plástico e te dará cortes tortos do papel, sem nenhum pouco de precisão. A régua metálica não desgasta como a régua plástica, pois quando o fio do estilete passa, não tira lascas do metal. E isso te dará precisão no corte, sem falar da durabilidade.




Lembrando, o material da régua deve ser de Aço, e não alumínio. O alumínio, assim como o plástico, também lasca com o passar da lâmina do estilete. Outro detalhe, a régua deve ser de 30cm ou mais, para facilitar o trabalho.


Cola

Aqui, coloco uma grande observação a respeito da cola: Tem que ser acid free! Gente, se vocês querem um trabalho duradouro, e de qualidade, não tem como remediar com qualquer cola, pois a cola para scrap tem que ser sem ácido. O ácido corrói as fotos, e com o passar dos anos dá aquele aspecto amarelado e feio nas fotos (por isso que os álbuns antigos de família ficavam amarelados). A cola própria para scrap é um pouco mais cara do que as colas comuns, mas vale o investimento.


Observações sobre a cola para Scrap:

O mínimo é muito. Passe uma fina camada da cola nos seus trabalhos, para evitar borrões. A cola adere o papel super bem, por isso não é preciso passar camadas grossas da cola no papel. Passe um filetinho bem passado, que já é necessário.

Passe a cola somente nas bordas do papel que irá colar. Não é necessário ficar passando no meio do papel.

Cole no lugar certo. A cola de scrap seca rápido e não permite que você movimente o papel por cima de outro.


Fitas Dupla Face

As fitas dupla face são encontradas em dois tipos: A dupla face normal, e a dupla face espumada. A dupla face simples ou normal, é utilizada para colar detalhes mais finos (como fitas, tiras de papel), fotos, entre outros. Já com a dupla face espumada (também conhecida como fita banana), é possível dar relevo a detalhes do projeto de scrap.



Fita dupla face simples




Fita dupla face espumada




Observação: A fita dupla face espumada, deve ser cortada, preferencialmente, com o estilete. A cola da fita junto com a espuma, gruda na tesoura e a invalida para cortar papel.

Tesoura

A tesoura escolhida para o scrap, deve ser de tamanho médio e deve ser de ponta, para proporcionar cortes precisos em detalhes pequenos.


Há tesouras específicas para scrap, exelentes por sinal. A diferença, é claro, é o preço, que costuma ser de 4 a 5 vezes maior que o preço de tesouras comuns. Essa tesoura é a Honey Bee, da marca EK Sucess, que vem em um tamanho bom, anatômica e confortável, com a ponta fina e precisa. É encontrada com lâmina em metal, e também em teflon, que a torna anti-aderente.


Na hora de compra, procure ponderar: Se o uso for grande e você acha que realmente vale a pena, indico com certeza, a Honey Bee. Ou se você vai começar a fazer, e quer testar se realmente vai fazer scrap ou não, uma tesoura com as qualificações mencionadas antes, já é o suficiente para você trabalhar tranquilamente.

Observação: A tesoura escolhida, seja uma simples ou uma Honey Bee, a use somente em papel, e tenha outra tesoura mais comum para cortar outros materiais.

Aplicador de Ilhóses

É uma ferramenta que eu julgo não tão básica assim pra quem está começando. Dá um efeito super bonito nos trabalhos, mas pra quem tá no começo e tá fazendo pra testar, eu aconselho não adquirir de cara. Mas se você deseja comprar, eu tenho um post falando só sobre as ferramentas de aplicar ilhós, onde você pode ter uma idéia de qual é melhor para o seu uso.


Ilhóses e Bailarinas

São acessórios lindos, que fazem toda a diferença no trabalho de scrap. Para o ilhós, é necessário o aplicador (vide texto acima), mas para as bailarinas, ou as “tachinhas”, você pode fazer um furo no papel com a ponta do estilete para a aplicação.

Bailarinas




Ilhóses



Papéis

Ah, agora chegou a parte que todo mundo gosta! Escolher os papéis é maravilhoso, mas na hora de escolher, sempre temos que fazer um composé de no mínimo 3 folhas de scrap. Para começar, pra quem não entende de composés, é legal combinar um liso, um listrado ou bolinha, e um estampado, para dar um contraste legal. Depois que vai se soltando e conhecendo melhor os papéis, pode combinar de várias maneiras.



Furadores


Furador é uma ferramenta que eu consider omuito legal, e incluo no meu conceito de material básico. Afinal, com apenas um furador, você pode fazer detalhes em vários projetos diferentes. Outra vantagem, é que com o furador, de qualquer retalho de papel que sobra de projetos, você pode fazer um detalhe com ele. É muito mais bacana que adesivo, pois adesivo é usado uma única vez, e com o furador, você pode trabalhar em infinitos projetos diferentes.


Carimbos e Carimbeiras

Com carimbos e carimbeiras, é possível costumizar muito mais o seu trabalho, pois você pode trabalhar com detalhes, fazer estampas, e com uma esponja molhada na carimbeira, pode fazer sombreados nas bordas dos papéis, dando um toque especial no papel.



Carimbeiras de diversas marcas: Stazón, Distress, Color Box, e ainda tem muitas outras marcas, cada uma dá um efeito diferente.

Carimbos: podem ser encontrados em centenas de modelos diferentes.


Bem, esta é a lista de materiais que eu considero importantes para iniciar o trabalho do Scrapbook. Algumas coisas, você pode adquirir aos poucos, não é necessário comprar tudo de uma só vez.

E para quem mora em cidades que não tem lojas que vendam scrap, indico as lojas virtuais:

ScrapStore

Scrapway

ScrapCenter

Scrap Jackie

Bom Divertimento!


AUTOR:
Luisiana Veras